O último dia de casamento de 2019 começou de madrugada, comigo a conduzir até a casa da Beatriz. No rádio ouvia-se “Aquela saudade” do Rubel. 

Cheguei e fiquei desde logo apaixonado pelo vestido da Beatriz. Juntamente com o trabalho natural feito na maquilhagem e nos cabelos, o resultado foi mesmo o que ela queria, natural, jovem e livre, como ela e o amor que se sente entre ela e o António.

O olhar meigo e apaixonado destes dois não engana ninguém. Isto, junto com a sua boa disposição, o bom gosto, as cores, e até a bem comportada “menina” das alianças, encheram de alegria este ensolarado dia de Outono.

Posso dizer que vim para casa de coração cheio , e não será isto tudo o que um fotógrafo quer?

CLOSE MENU